Salão do Buddha

Significados e Conduta
Salão cerimonial do Templo Tzong Kwan

  • Salão cerimonial, imagens de Budas e Bodhisattvas
  • Quais regras devem ser seguidas dentro do salão cerimonial?
  • Prostrações
  • Leitura de Sutras no Templo
  • Palestras
  • Vestimenta
  • Regras que devem ser seguidas ao ler um livro budista
  • Boas maneiras
  • O Lótus e o Diamante
  • Instrumentos do Dharma
  • Para que serve o grande sino e o grande tambor na entrada do templo?
  • O Sino Médio em Bronze
  • Os Sinos Pequenos
  • O Peixe de Madeira
  • O Tambor com Sino
  • O que significa a urna de mérito (caixa de colaborações)?

Salão Cerimonial do Templo

Salão do Buddha
Antes de entrar no salão cerimonial, todos devem tirar os sapatos e deixá-los no lugar indicado. Uma forma importante de demonstrar respeito diante dos Budas e Bodhisattvas é realizando três reverências diante das imagens. Ao realizá-las, as imagens não devem ser consideradas como encarnações dotadas de poderes sobrenaturais. As imagens têm a função de servir como símbolos das virtudes e ideais relacionados com os Budas e Bodhisattvas, as quais os praticantes devem cultivar. No salão cerimonial, se realizam as cerimônias matinais, vespertinas e as realizadas em conjunto com os leigos aos domingos.

Altar do Templo Tzong Kwan - Buddha Amitabha, Bodhisattvas Avalokiteshvara e Mahastamapratpa

Ao entrar no salão cerimonial, encontraremos:

No lugar principal e altar central, se encontra a imagem do Buda Amitabha (Āmítuó Fó). O Buda Amitabha é o Mestre da Terra Pura Ocidental. Como Bodhisattva, realizou quarenta e oito grandes votos. Criou a Terra Pura para que os seres viventes que constante e sinceramente repetem seu nome possam renascer nesse local após suas mortes físicas. Na Terra Pura, eles continuarão recebendo os ensinamentos budistas.

Olhando à direita, está a imagem do Bodhisattva Avalokiteshvara (Guān Shì Yīn Púsà): “quem escuta as súplicas do mundo.” É a encarnação da Grande Compaixão pelas aflições e sofrimentos dos seres do mundo. Vem em ajuda de quem quer que invoque seu nome. Guān Yīn obteve a budidade há inúmeros kalpas (um grande período de tempo) e foi chamado Tathagata* do Dharma Correto. Devido à sua forte afinidade com os seres viventes, se manifesta como um Bodhisattva e se compromete a salvá-los.

À esquerda, se encontra a imagem do Bodhisattva Mahasthamaprapta (Dà Shì Zhì Púsà), o Bodhisattva do “Grande Poder”.

*Tathagata é outra forma de denominação para o Buda.

Buda Shakyamuni No altar intermediário, se encontra a imagem do Buda Shakyamuni (Shì jiā móu ní Fó). É o mestre original e fundador do Budismo; o Buda histórico que nasceu há mais de dois mil e quinhentos anos na Índia Setentrional.

Na frente da imagem do Buda Shakyamuni, existe a imagem do Bodhisattva Maitreya (Mí Lè Púsà): o Buda feliz; é um símbolo da Grande Benevolência. Sua tolerância universal para com todos os seres viventes e sua imensa bondade trazem consigo ao mundo: abundância, regozijo e esperança. É conhecido também como Buda Maitreya (Mí Lè Fó).

Bodhisattva Ksitigarbha

No terceiro altar, se encontra a imagem do Bodhisattva Ksitigarbha (Dì zàng wáng Púsà). Seu nome pode ser traduzido como “Tesouro da Terra” ou “Matriz da Terra”. É renomado pelo seu grande voto, prometendo permanecer nos infernos ajudando a todos os seres que
necessitam ser libertados e também em só alcançar a budidade quando os infernos se encontrarem vazios de seres atormentados. Seu voto é: “estabelecerei muitos recursos adequados em resposta àqueles seres vivos que estão sofrendo por suas más ações. Até o final de futuros kalpas, até que todos esses seres obtenham as libertações.”

Nas laterais, encontramos as imagens de dois guardiões:

Bodhisattva SkandaBodhisattva Skanda (Wéi tuó Púsà) – guardião localizado à direita. Reconhecido como um dos oito guerreiros divinos, manifesta-se como um general majestoso com sua armadura. Antes de entrar no Nirvana, Buda ordenou ao general que permanecesse neste mundo para proteger o Buddhadharma (ensinamento de Buda). Logo após a morte do Buda, suas relíquias foram roubadas por malvados demônios. O Bodhisattva Wéi tuó os dominou e recuperou as relíquias de Buda. Wéituó Púsà é o devoto guardião do Dharma, guardando fielmente os tesouros budistas e os objetos do Dharma.

Bodhisattva Sangharama

Bodhisattva Sangharama
(Qié lán Púsà) – localizado à esquerda.
Historicamente, foi conhecido como um grande guerreiro chinês do Reino de Shu, durante a era dos três reinos (Wei, Shu, Wu 220-265 d.C.). Guān Yŭ foi reconhecido e respeitado pelas pessoas pela sua lealdade e justiça desinteressada. Durante a Dinastia Sui (581-618 d. C.), mais de duzentos anos depois, o Venerável Mestre Zhi Yi estava decidido em construir um mosteiro budista na montanha de Yù Quán. Um dia enquanto meditava, lhe apareceu Guān Yŭ. Logo, Guān se comprometeu em apoiar o budismo e transformar o terreno ondulado existente numa planície para facilitar a construção do mosteiro. Guān Yŭ reapareceu e tomou refúgio para se converter em budista seguindo os cinco preceitos. É conhecido como o “Bodhisattva Qié lán”, o devoto guardião dos mosteiros.

Sobre a mesa do altar, também podemos encontrar flores, frutas e incenso que são oferendas aos Budas e Bodhisattvas. A prática de oferendas expressa gratidão e respeito.

folhaOutras imagens de Budas e Bodhisattvas que podem ser encontradas em Templos budistas:

Buda Mestre da MedicinaBuda Mestre da Medicina (Yào Shī Fó) – é o Mestre da Terra Pura do Leste de Resplendor de Cristal. Reconhecido no Budismo como o Grande Rei da Medicina; cura as aflições do corpo e da mente. Como Bodhisattva, o Buda Mestre da Medicina realizou doze grandes votos para libertar aqueles que invocam seu nome.

Bodhisattva Samantabhadra (Pǔ xián Púsà) – é reconhecido por sua Grande Prática. Cultiva sem descanso e aplica os ensinamentos do Dharma em benefício de todos. É representado sentado sobre um elefante branco com seis presas, o qual simboliza a força da sabedoria que vence todos os obstáculos. As seis presas representam as seis paramitas.

Bodhisatta Manjushri (Wén shū shī lì Púsà) – representa a Grande Sabedoria, a qual confere o poder para discriminar o bem do mal. É representado sentado sobre um leão, emblema de sua majestade; sustenta em sua mão a espada da sabedoria ou o livro da grande sabedoria (prajnaparamita), que simboliza a sabedoria encarnada por Manjushri; com eles, destrói as escuridões da ignorância (avidya).

Quais regras devem ser seguidas dentro do Salão Cerimonial?
. Não é permitido entrar no salão com chapéu, óculos escuros e nem com os pés calçados.
. Não se deve entrar no Salão Cerimonial pela porta do meio, deve-se entrar pelas portas ao lado da porta central. Durante os rituais, os homens devem entrar pela porta da direita, e as mulheres pela porta da esquerda. A porta do meio tem um significado ritualístico e seu uso é restrito aos monges e monjas durante os rituais.
. Não se pode caminhar pelo corredor central; as pessoas devem caminhar pelos corredores laterais do salão. O salão não deve ser atravessado transversalmente, pois está em desacordo com as regras dos rituais e representa falta de respeito.
. Não se deve sentar no Salão Cerimonial com os pés apontando em direção ao altar, pois representa falta de respeito para com as entidades nele representadas.
. Os genuflexórios cobertos com couro são para uso exclusivo dos monges e monjas durante os rituais; utilizá-los indevidamente também representa falta de respeito.
. Os homens devem se localizar à direita do salão e as mulheres à esquerda; as primeiras fileiras são para os monges e monjas, logo após vem as pessoas que tomaram os preceitos de Bodhisattvas e mais atrás as que tomaram os cinco preceitos, as quais usam o manto marrom (màn yī) que são utilizados cruzados sobre o ombro esquerdo. Atrás deles, as pessoas que usam só a túnica (hǎi qīng). Quem não veste a túnica deverá ficar nas últimas fileiras.
. No interior do salão, não se deve conversar, deve-se desligar o celular e manter uma atitude silenciosa e reverente. Todo Templo tem seus Espíritos Guardiões que por ele zelam dia e noite. Lembre-se de que este é um lugar sagrado, onde você nunca está só.

Prostrações
ProstraçãoQuando fazemos as prostrações, devemos primeiramente unir os dedos das mãos. Em seguida, curvamos o corpo e apoiamos a palma direita no chão, depois a palma esquerda, e encostamos a testa no chão. Viramos as palmas para cima, mentalizando neste momento que elas estão recebendo e segurando os pés de Buda com todo o respeito; quem faz a prostração manifesta humildade, colocando sua testa aos pés de Buda. Para concluir a prostração, viramos as palmas para baixo, apoiamos-nos no chão com a mão direita, levantamos a mão esquerda e o corpo lentamente, e voltamos à posição inicial. Essa prostração deve ser feita três vezes.

Leitura de Sutras no Templo
Os textos religiosos budistas (Sutras) que estão dentro do templo podem ser lidos. Lembrar:
1- Lavar as mãos antes de pegá-los.
2- Para lê-los, segurá-los com as duas mãos.
3- Colocá-los sobre o suporte designado a esse uso; não o deixe sobre o chão nem sobre a almofada. Não coloque objetos sobre eles, não o dobre e também não o coloque debaixo do braço.

Trate-os com respeito. Uma vez finalizada sua leitura, coloque-os no mesmo lugar de onde os tirou. Por favor, ao sair do salão, não os levem consigo.

Palestras
Quando um mestre estiver dando uma palestra, seja na Sala de Conferência ou no Salão Cerimonial, ao ingressar desligue o celular e faça as três reverências correspondentes ao Buda, e logo após uma reverência ao mestre. Depois pode se sentar e manter o silêncio. Lembre-se que não deve interromper a palestra com perguntas quando essas não são permitidas, assim como sentar-se em posições cruzando os braços de trás da cabeça, ou esticar os braços para trás, ou cochilar, ou se distrair olhando para qualquer lugar. Mantenha a posição correta, atenta e em silêncio. No caso de ter de retirar-se, primeiro faça uma reverência ao mestre com as palmas juntas e depois pode sair em silêncio.

Vestimenta
Não é permitido entrar no Templo com shorts, mini-saia, roupa transparente ou roupa inadequada para o local.

Regras que devem ser seguidas ao ler um livro budista
São doze regras:
1- Lavar as mãos antes de pegá-lo para ler.
2- Segurar o livro com as duas mãos.
3- Colocá-lo sobre uma mesa limpa.
4- Depois de lê-lo, guardá-lo num lugar limpo.
5- Não guardá-lo junto com livros que não sejam religiosos.
6- Não levá-lo ao banheiro.
7- Não lê-lo deitado.
8- Não colocá-lo em cima das pernas, nem carregá-lo em baixo da cintura.
9- Não colocá-lo sobre a cama ou cadeira.
10-Não molhar o dedo com saliva para virar as páginas.
11- Não desenhar, sujar, rasgar ou dobrar suas folhas.
12- Não carregá-lo sob o braço, nem enrolá-lo.

Boas maneiras
Não fumar em nenhum local do Templo (incluindo os banheiros). Nos Templos, não é permitido demonstrações de carinhos íntimos como abraços, beijos, etc. Também tem que se abster do consumo de bebidas alcoólicas e de alimentos não vegetarianos.
Como devem ser tratados os monges e as monjas?

Devem ser tratados com respeito chamando-os de Mestres. Não se deve cumprimentá-los com abraços, beijos e nem dando a mão. Só se deve juntar as palmas das mãos e falar “Āmítuó Fó”.

Flor de LótusO Lótus e o Diamante
No altar, temos duas luminárias em forma de flor de lótus. O lótus é um dos mais importantes símbolos do Budismo.

É uma planta aquática cujas raízes ficam no lodo. As flores se elevam e se abrem acima da superfície da água. Simboliza que também as pessoas podem se erguer sobre as privações e atribuições da vida e alcançar a Iluminação. O diamante é um símbolo do Budismo representado no altar por um similar em cristal. O diamante é uma pedra muito dura e resistente, por isso, para o Budismo ele é o símbolo da resistência e da firmeza espiritual.

Instrumentos do Dharma
O sino, o tambor, o peixe de madeira e tudo que se encontra no Templo só pode ser tocado pelos mestres ou pelas pessoas autorizadas.

Para que serve o grande sino e o grande tambor na entrada do templo?
TamborO grande sino e o grande tambor que ficam pendurados no teto, logo à entrada do salão cerimonial, são usados em alguns rituais especiais ao longo do ano.

Se você chegar bem perto do grande sino, verá um texto em chinês escrito ao seu redor. É o Sutra da Essência, um dos Sutras mais importantes do Budismo, que é recitado diariamente. Pode ser lido na íntegra no “Livro de Orações e Regras dos Rituais”.

O Sino Médio em Bronze
Sino de bronzeNo idioma chinês, este sino médio em bronze é chamado de “da jing”. É um sino utilizado como instrumento de percussão durante as cerimônias. Esse sino é encontrado do lado direito do altar.

Os Sinos Pequenos
São usados também para acompanhar as cerimônias e são segurados na mão esquerda de quem dirige a cerimônia.

O Peixe de Madeira
Peixe de madeiraÀ esquerda do altar, tem o peixe de madeira que é chamado em chinês por “mù yú”. Esse instrumento consiste em um bloco oco de madeira com formato estilizado de um peixe; também é utilizado como um instrumento de percussão. Ele é usado para dirigir e controlar os cantos e as recitações dos Sutras. Do lado esquerdo do altar, localiza-se o peixe maior e há outros de vários tamanhos que são utilizados segundo a necessidade da ocasião. Ele tem este formato porque os peixes jamais fecham os seus olhos mesmo durante o sono, isso significa simbolicamente que devemos permanecer sempre em alerta na prática do Dharma.

O Tambor com Sino
Este tambor tem dimensões menores e tem um sino, é chamado no idioma chinês de “líng gǔ”. Podemos encontrá-lo à direita do altar. Seu som simboliza o fim dos ciclos de renascimentos, que leva à felicidade.

O que significa a urna de mérito (caixa de colaborações)?
Algumas das virtudes exaltadas pelo Budismo são: a generosidade, a gratidão e a doação. Sua prática produz muitos méritos; só através das doações é que o Templo se mantém. No Salão Cerimonial, encontramos essa Caixa de Colaborações onde podemos realizar a doação em dinheiro sem importar com o valor.

Conheça outros símbolos e significados budistas.

TEMPLO TZONG KWAN
Endereço: Rua Rio Grande, 498 – Vila Mariana
CEP: 04018-001 – São Paulo – SP
Tel: (0xx11) 5082-3160 / 5084-0363

Compartilhe!